Argumentação Jurídica: 7 dicas para advogados

Saber se posicionar diante das situações de debates é essencial na profissão dos advogados e investir no aprendizado da argumentação Jurídica é crucial para se sair bem nos desafios.

Aprender a se colocar diante do público, usar palavras corretas e técnicas para persuasão exige atenção e é uma característica particular do Direito. Para uma boa argumentação Jurídica é preciso estudos, atenção e métodos e, para te ajudar com esse importante soft skill, reunimos 7 dicas para que sua argumentação seja ainda mais assertiva. Confira!

Como aperfeiçoar a argumentação Jurídica?

A argumentação Jurídica é uma ferramenta essencial para os advogados. Essa técnica é ligada ao discurso e boa oratória e vai além, levando em conta capacidade de controlar emoções, convencer o outro e guiar bem suas conversas.

Para que você aprimore ainda mais essa importante característica do Direito, acompanhe as dicas que separamos para você!

1. Tenha um conhecimento amplo da língua portuguesa

Para falar bem e ter uma capacidade de argumentação Jurídica é preciso saber se expressar corretamente e ter um vasto conhecimento de palavras e vocabulários, não é mesmo?

Portanto, é essencial dominar a língua portuguesa para ter uma grande capacidade de criar argumentações, sejam elas escritas ou em falas.

Sendo assim, é importante ler livros, revistas, notícias, assistir séries, documentários, ouvir podcasts e acompanhar diversas formas de conteúdo para se aprimorar. Invista também em cursos profissionalizantes e se desenvolva na área do Direito que mais faz sentido para você.

Vale dizer que isso não significa apenas ler e consumir sobre Direito, mas sim sobre qualquer assunto que te interesse, afinal, tudo é conhecimento e quanto mais abrangente sua absorção de conteúdo, maior sua gama de palavras e vocabulários.

2. Participe de debates

O debate é uma atividade que pede por raciocínio, bom uso da palavra e pensamento crítico e treiná-lo é uma forma de se preparar para situações processuais em que a argumentação Jurídica é altamente exigida.

Busque por possibilidades de debates informais, palestras, grupos de pesquisas, mesas redondas e eventos para advogados e treine sua capacidade de ouvir, expor seu ponto de vista e de trabalhar com visões diferentes da sua.

3. Busque técnicas que te ajudem

Algumas pessoas gostam de estudar com resumos escritos, outras preferem utilizar desenhos e incentivos visuais, outras gostam de mapas mentais e diversas outras técnicas.

É importante encontrar metodologia que faça sentido para você e que faça com que as palavras e ideias sejam organizadas para sua formação e construção da argumentação Jurídica.

Independente de qual seja a técnica escolhida, crie mapas, resumos ou estruturas que te ajudem a enxergar claramente o que pode ocorrer, quais são os cenários e argumentações necessárias para o momento.

4. Use metáforas na argumentação Jurídica

A metáfora é uma figura de linguagem que está associada ao significado das palavras e faz com que expressões e figuras sejam utilizadas para dar maior foco no que se quer chegar.

Mais do que conhecer bem a língua – como já falamos –, utilizar formas de expressão e fazer com que a palavra trabalhe para você é essencial para uma boa argumentação Jurídica, envolvimento e convencimento daqueles com quem se fala.

As metáforas são excelentes gatilhos mentais que podem evocar sentimentos, gancho histórico ou até mesmo relações com outros casos e causas passadas. Sendo assim, os gatilhos mentais e ganchos argumentativos são interessantes para a sustentação de processos, vez que trazem a ideia de profundidade e credibilidade para sua construção argumentativa.

5. Não seja agressivo e tenha cuidado com extremos

Ao utilizar a linguagem a seu favor deve se ter cuidado com o uso de tom e voz que podem soar como agressivos. Dentro da argumentação Jurídica é preciso se impor e se colocar de forma firme para demonstrar a sua certeza sobre o tema, mas isso não pode ser confundido com agressividade.

É preciso ser firme, mas não dar tons para imposições, superioridade ou menosprezo com qualquer que seja. Lembre-se também de que utilizar metáforas não é usar chacota ou deboche é necessário ter uma linha tênue entre ser extremo e negativo em suas palavras.

6. Estruture, treine e crie cenários

Os processos exigem preparação e é preciso muito mais do que ir na data marcada e apresentar suas defesas, contestações ou acusações.

É interessante organizar o que vai dizer, estruturar qual o caminho de argumentação e desenhar seu caminho dentro dos processos para que exista coerência em toda sua fala ou escrita.

Se o seu discurso não apresenta uma boa estruturação que tenha início, meio e fim, os juízes, a banca de concursos ou seus colegas de profissão não entenderão a ideia principal e vão prestar mais atenção em outros aspectos que não são relevantes sobre o que você pretende transmitir, sendo mais fácil encontrar seus erros e fraquezas.

Portanto, estruture seu processo de fala, tenha também argumentação baseada em dados, pesquisas, estatísticas, Jurisprudência e outras fontes confiáveis. Não basta ter bom domínio da língua, utilizar metáforas e se portar bem se sua argumentação Jurídica não é confiável, certo? Portanto, dê veracidade às suas composições e não se baseie em achismos ou ideias soltas.

Mais do que isso, além de estudar sobre seu cliente, ações e composições da argumentação, liste as possibilidades que poderão ser apresentadas por outra parte.

Isso quer dizer sobre treinar sua fala e traçar cenários que podem ocorrer dentro dos processos. Ao olhar para isso, você se prepara para diversas linhas de construção de argumentos e se sai melhor em sua defesa ou acusação.

É claro que nem todos os cenários são previsíveis e que diversos caminhos podem ser tomados durante os processos, mas ter uma base do que se pode ocorrer é um grande ganho para uma boa argumentação Jurídica.

7. Comunique-se com clareza

É comum que advogados, juízes e pessoas do meio utilizem o “Juridiques”, mas isso pode ser prejudicial para seus clientes e pessoas que acompanham o processo. É importante simplificar e fazer com que sua argumentação Jurídica seja para todos.

Quando você consegue defender seu posicional com clareza, a receptividade do público torna-se maior e faz com que seu discurso seja entendido com mais segurança e facilidade.

A linguagem rebuscada era muito valorizada no passado, mas afastava muitas pessoas desse meio. A ideia não é ser informal e ignorar os termos e utilizações comuns do Direito, mas sim se colocar de forma clara e direta para quem quer que seja.

A comunicação clara vai também além de palavras e usos de figuras de linguagem, mas tem a ver também com postura e posicionamento diante dos tribunais e dos locais de fala dos advogados.

É preciso se portar bem e ter cuidado com a linguagem corporal. Muitas vezes, as pessoas são ótimas em sua fala, mas esquecem do corpo, assim, ele não trabalha de forma positiva para você.

Diversos sinais podem indicar insegurança, incerteza ou medo com a fala. Portanto, é importante também conhecer seu corpo, seus sinais e treinar essa forma de linguagem.

A argumentação Jurídica é um conjunto de argumentos, palavras, uso do idioma e de figuras de linguagem, linguagem corporal e conhecimento diversos. Conhecer sobre ela e buscar conhecimento e crescimento pessoal é essencial para se destacar em seu meio.

O quanto você está se aperfeiçoando e olhando para a sua argumentação Jurídica? Aproveite nossas dicas e se destaque ainda mais em sua área do Direito.

Gostou das nossas dicas? Quer receber conteúdos importantes e atualizações da área? Assine nossa newsletter e tenha em sua caixa de entrada os melhores temas sobre o Direito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *