As principais tendências do setor jurídico para o pós-coronavírus

Você não estava esperando. Não estava preparado. Na verdade, ninguém estava. Mas é fato que a pandemia do Coronavírus revirou o mundo.

Todos os setores foram afetados. Em maior ou menor grau, profissionais precisaram rever suas rotinas e prioridades. E não é diferente com o setor jurídico.

Afinal, o distanciamento social e o foco na saúde fizeram atividades como os julgamentos em tribunais, as consultas e reuniões presenciais  ficarem impossibilitadas de acontecer. 

Esse cenário faz com que o setor jurídico passe por grandes transformações. 

Um exemplo são as reuniões. Segundo o Supremo Tribunal Federal (STF), tribunais ainda podem realizar sessões presenciais, mas apenas quinzenalmente e com os presentes portando equipamentos de proteção individual, como máscaras.

Essa situação de exceção provoca uma reflexão em todo mundo. Algumas pessoas estão revendo prioridades. Outras, estão com dificuldades. No setor jurídico, a palavra do momento é adaptação.

Como ficará a rotina após a pandemia? Os julgamentos virtuais serão adotados como realidade? O home office será uma realidade para os escritórios?

Abaixo, você confere algumas tendências para essas respostas, que ainda estão sendo formuladas em meio a uma grande epidemia.

O home office como grande tendência

Se não era novidade, o home office virou uma realidade para muitas empresas manterem o funcionamento durante a pandemia do Coronavírus, seja no setor jurídico ou não.

Com a facilidade da internet e a praticidade de aplicativos de mensagens instantâneas, trabalhar de casa é mais seguro e não apresenta impedimentos quanto ao acesso de informações. 

No setor jurídico, o home office já era adotado pela flexibilidade e agitada rotina do advogado. Entre audiências e reuniões com os clientes, a elaboração de peças processuais e petições podia ser feita de casa.

Agora, não apenas o trabalho individual de pesquisa e montagem de processo, mas também o diálogo com a equipe é feita de casa.

Aplicativos como o Google Hangouts e o Zoom servem como uma valiosa ferramenta para promover reuniões e encontros profissionais.

O Google disponibiliza um serviço de armazenagem de documentos que permite a edição e criação de relatórios e processos da aba do navegador.

Sim, a tecnologia ajuda, e muito, o home office. Mas ele será adotado no setor jurídico após o término da pandemia?

A tendência é que, num primeiro momento, o setor jurídico abrace o home office pela economia de custos e praticidade que ele garante.

Os escritórios que adotam práticas da advocacia 4.0 e que estão conectados com a realidade digital são os que mais se beneficiarão dessa transformação.

Advogados que também estejam adaptados a trabalhar de casa, mantendo uma rotina de foco e disciplina, também sairão ganhando.

Consultórios e reuniões presenciais não deixarão de existir. Mas a relação deles com os clientes dentro do setor jurídico com certeza será transformada após a pandemia.

Julgamento online pode virar realidade

Mesmo com as sessões presenciais, o STF vem ampliando regras e normas sobre a realização de julgamentos virtuais, uma prática já conhecida no setor jurídico, mas não tão usada.

Nesse tipo de julgamento, a sustentação oral dos dois lados é feita via videoconferência, com o juiz e os ouvintes presentes online.

Até o momento, não houve nenhum registro de perda de informação ou dificuldade. Pelo contrário. O sucesso do julgamento online é tão grande que o STF ampliou a prática em março.

Segundo as novas normas, as sustentações orais devem ser encaminhadas por meio eletrônico até 48 horas antes do início do julgamento em sessão virtual. 

O juiz da sessão pode convocar uma sessão virtual extraordinária a qualquer momento também.

Essas normas são um grande avanço no setor jurídico. Nos próximos meses, julgamentos e processos online podem virar uma grande realidade.

Além de mais práticos, pois a defesa e a argumentação oral podem ser feitos do conforto de casa, eles também são econômicos.

As partes não precisam estar presentes, o que muitas vezes envolvia viagens longas e caras.

O advogado também pode preparar uma defesa pautada na argumentação online, com uma narrativa que case com a tecnologia a seu dispor.

Assim como acontece no home office, é pouco provável que tribunais fechem por conta do julgamento online. Eles abrem novas frentes de atuação e possibilidades para a classe.

banner Jurisprudência

Advocacia 4.0 ganhará força

Se você acompanha a Advise – por falar nisso, não esqueça de assinar nossa newsletter – sabe que a advocacia 4.0 é uma corrente forte de adaptação dentro do setor jurídico.

Depois da pandemia do Coronavírus, ela será uma realidade mais forte do que nunca.

O maior uso da internet fará clientes e profissionais tomarem decisões cada vez nesse ambiente. É fundamental que o escritório invista em mídias sociais e canais de conversa online.

Aliás, atendimento é um item que merece atenção. O setor jurídico pode se ver numa grande transformação na forma como advogados falam com seus clientes.

As conversas por ferramentas digitais, em tempo real, serão um hábito. E não mais um diferencial.

Investimento em tecnologia também será mandatório. No ambiente digital, um escritório precisa de um software de gestão jurídica para manter todas as atividades organizadas – incluindo aquelas que os sócios estão realizando de casa.

E o que falar do acesso a contratos e documentos sigilosos? Investir em segurança digital pode evitar crimes e quebras de contrato.

Como se adaptar a essas mudanças?

Todas as mudanças, tendências e procedimentos que você leu até aqui já estavam acontecendo antes da pandemia.

O que o Coronavírus fez foi acelerar essas transformações no setor jurídico. Por necessidade, não por vontade.

O mundo pós-pandemia será diferente. Você já deve ter ouvido falar que teremos um “novo normal”. Ainda não sabemos como será esse normal, mas com certeza ele será mais digital.

Por isso, esteja antenado nas tendências digitais e de advocacia 4.0 que pipocam a todo momento.

Se você é sócio de um escritório, certifique-se de contratar bons profissionais e contar com bons softwares de gestão para seu negócio. Não é gasto, é investimento!

Lembre-se que a tendência de hoje é a realidade de amanhã. E o setor jurídico passa por uma transformação nunca vista com a pandemia do Coronavírus.

Gostou desse texto? Ele te ajudou a entender as transformações digitais do setor jurídico? Não esqueça de assinar nossa newsletter, nesse link, para receber mais conteúdos como esse.

4 Comentários

  1. JOSUE BENEDITO MAZZI

    COM TODO RESPEITO: ESTOU PARANDO COM O TREBALHO JURIDICO, OBEIGADO PELA ATENÇÃO

    Responder
    1. Caroline Capra

      Oi, Josue. Espero que aproveite o tempo com lazer e coisas que te façam feliz 😀

      Responder
  2. Renan Macedo

    O importante, não ser importante, mas, ter a ferramenta certa… Advise!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *